Bolha

Porque a minha história não podia ficar sem pontuação...

quarta-feira, outubro 22, 2008

Dedo Negro. A bricolage não é comigo.
Verniz descascado. Tira gorduras não é comigo.
Músculos doridos. Esfregar até brilhar não é comigo.
Limpezas gerais. O fim-de-semana não foi nada comigo.
Depositei esperanças de retempero na segunda-feira. Mas a segunda-feira é a segunda-feira. E de segunda-feira só se pode esperar destempero. Desta, mais do que das outras. Não sei se por culpa do hematoma no polegar, da acetona nas unhas ou da falta de uma massagem.
A segunda-feira tem má fama, esta teve todo o proveito.

Dormia eu o sono dos limpadores de fim-de-semana quando sou abruptamente acordada pelo telefone via interposta pessoa. Era requisitada no meu local de trabalho com urgência. Saltei os cremes e o pequeno almoço e saí a toda a brida de casa, entre o espavorida e o estremunhada, ambos estados pouco amigos do meu cabelo.
Mas pior que o cabelo estava a cara. A saída meteórica de casa não deixou que as marcas de grude na almofada se apagassem.
Se má estava de pescoço para cima, pior fiquei de tornozelo para baixo.
Calcei uns lindos sapatinhos que ainda não tinham saído da gaveta este ano e em má hora saíram. Sem meias e com as pressas quando cheguei ao destino já não podia com os calcanhares. Despachado o serviço fui para o escritório. Já em bicos dos pés, porque os pés já não queriam nada com o encosto. Com tanta sorte que encontrei gente perante quem tinha de parecer, pelo menos, composta. Aguentei com a firmeza de uma bailarina.
Implorei por boleia à hora do almoço e a boleia veio e trouxe chinelos.
Depois do almoço, com os calcanhares devidamente almofadados, troquei os sapatinhos por umas sapatilhas a fugir para o chinelo, apesar dos ameaços de chuva.
Chuva não houve, houve sim nova chamada ao serviço. Acorri, devagarinho desta vez, e esperançosa que ninguém me olhasse para os pés, cuja roupagem arruinava estrepitosamente o meu estilo.
Se alguém olhou e se chocou, calou. Melhor.
Regressada ao escritório e estando entregue aos ais pelas minhas rebentadas bolhas maquiadas com mercúriocromo fui obrigada a ceder o protagonismo aos esperneios, gritos e pseudo fanico de uma cliente que já não tem idade para ter juízo.
Liguei para o INEM não fosse dar-se o caso da mulher ter uns fanicos de grande monta e fraca aparência.
Compareceram os senhores bombeiros, que açambarcaram a estrada toda com a ambulância e que discutiram com aquela prenda durante cerca de meia hora.
Passada meia hora de fita, em que a aventesma se recusou a ir ou a assinar a recusa de transporte, acrescentando que não pagava nada, em que a fila crescia atrás da ambulância e em que os bombeiros já estavam com vontade de lhe induzirem outro fanico, eu, paciente como sou com as birras, estava a quase nada de despir a complacência, de adiar as bolhas e de me atirar à sacana da velha. Sob o meu semblante calmo já estava a dita ser sovada a gosto. Tenho em mim muito de Ally Mcbeal.
Os bombeiros foram-se embora sem a "encomenda".
Podiam ter-me levado a mim, que estava com os nervos em frangalhos, desgraçada dos pés e a ser impedida pela fascista da minha operadora de solicitar nova boleia porque era chegada a hora do carregamento obrigatório.
A boleia ainda assim veio. Veio e levou-me a uma sexshop.
Mas entradas no carro as imagens da sex-shop foram rápida e literalmente atropeladas. Eu e a pendura do banco de trás gritámos "olhá pomba" e alguém no carro do lado de lá nos ouviu, só que nos interpretou mal. Nem a roda da frente, nem a roda de trás falharam o objectivo e ficou a pomba ficou esborrachada no asfalto.
Para nos recompor-mos fomos comprar as primeiras prendinhas de Natal. Eu sei que ainda não chegámos a meio de Novembro, o meu tiro de partida para o afã natalício, mas não há como gastar para o mal abalar..
Não sei como em tão malfadado dia não me engasgei com nenhum osso ao jantar.
Porém as minhas amofinações ainda não tinham acabado. Passei o fim de noite a enxotar uma borboleta, que não desistia de tentar entrar para a orelha do meu pai que dormitava no sofá ao lado.

Refugiei-me na cama. Tinham de acabar com a segunda-feira.
A minha segunda-feira não chega para filme, mas dá post (mesmo que já seja quarta-feira)

6 Comments:

At 23 outubro, 2008 01:36, Blogger Amora said...

Ai mulher.. até eu fiquei cansada de ler tal relato.
Isso não é uma segunda feira! E uma daquelas maquinas para picar carne para almondegas só que em vez de picar porco ou vaca pica mesmo Taralhocas como se não houvesse amanha.
...
...
...
No interior ameijoado (estou farta das ostras, pá) há sexshops?
São boas? Têm uma boa variedade de artigos?
Apostam muito nos filmes pornos e na lingerie de má qualidade ou têm brinquedos interessantes e uma boa diversidade de lubrificntes e loções?

 
At 23 outubro, 2008 07:47, Blogger Celtic Angel said...

Ao menos a tua vida é animada... não é como a minha que, como estou doente, tento fazer alguma coisa e fico com uma bruta dor de cabeça... isto é eu chamo vida animada xD
Por falarm em sexshops... já tive a fazer uma entrevista a um dono de uma cadeia de sexshops e por isso passei a tarde dentro de uma com membros da realização e de câmara... enfim, uma tarde engraçada, naquelas alturas em que brincava às produtoras de TV...

 
At 24 outubro, 2008 15:27, Blogger Taralhoca said...

Quer dizer, uma pessoa escreve sobre tanta desgraça e só vos fica a sexshop? Prevertidas!!!!
E sim senhora amora. Venha ao EDO (enterior desquecido e ostracizado, segundo fui informada)descansada, que há sex shop para a servir a gosto. Muita variedade, sobretudo de vibradores, roupa miúda, óleos e algemas.

 
At 25 outubro, 2008 19:51, Anonymous Anónimo said...

mas isto não era um estaminé decente??? que lhe aconteceu na minha ausência??

sou do tempo em que a taralhoca visitava lojas dos chineses em busca de vacas mutantes, e agora deu-lhe para os vibradores?? ao menos têm forma de vaca??

LOL

eheheh

beijo!

 
At 27 outubro, 2008 11:59, Blogger bailaroska said...

Bem, parece que todos pensaram o mesmo: cadê o desenvolvimento dessa visita de estudo??
A imagem da pomba ficou desagradavelmente gravada na memória... e eu não assisti!

Esta bailarina já não tem bolhas há muito, mas bem me lembro de ter de manter o sorriso e a postura enquanto os pés, dentro das pontas, sangravam...
A minha solidariedade, querida amiga.

 
At 27 outubro, 2008 21:01, Blogger Cisne branco said...

Sei bem o que é atropelar uma pomba!!! Ficam mesmo esborrachadas e o carro nem salta!!! E a minha era da casa, tadinha!!!! Sexshop???? Será que alguém falou em sexshop???? Onde, onde????

 

Enviar um comentário

<< Home